MAQUININHA LELECO
Pedradas na Cabeça

Homem é preso suspeito de matar jornalista por causa de R$ 3 em Cuiabá

Rapaz de 21 anos confessou a terceiros sobre o crime; ele ainda será ouvido pela Polícia Civil

02/10/2019 13h25
Por: Redação Hora News MT
Fonte: Midia News
485
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um jovem identificado como Jhon Lennon da Silva, de 21 anos, foi preso pela Polícia Militar na noite de terça-feira (1°) suspeito de matar o jornalista Marcelo  Ferraz Leite, de 38 anos, com pedradas na cabeça, no último final de semana, em Cuiabá.

 

Segundo boletim de ocorrência, o suspeito confessou a outras pessoas que havia cometido o homicídio porque Marcelo o procurou e consumiu uma porção de pasta-base de cocaína e não tinha o dinheiro para pagar. Segundo ele, o valor da droga era R$ 3.

 

 

Marcelo havia sido dado como desaparecido por familiares no sábado (28). A reportagem apurou que ele teria informado à mãe que iria se encontrar com amigos na Praça da Mandioca, região de bares no Centro Histórico da Capital.

O corpo dele foi encontrado na segunda-feira (30), nas proximidades da Avenida Historiador Rubens de Mendonça (do CPA), aos fundos de uma loja da rede McDonald's.

 

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, a PM recebeu uma denúncia de que uma pessoa havia ido até uma boca de fumo pedir drogas, afirmando que precisava, pois "havia acabado de matar uma pessoa".

 

“Este relatou que a vítima [Marcelo] teria pedido uma porção de pasta-base de cocaína, que custava R$ 3. E esta pessoa, após consumir a droga, não tinha o dinheiro para pagar. Neste momento, o suspeito desferiu pedradas na cabeça da vítima”, diz trecho do boletim.

 

Foram feitas buscas na região e, após a informação de que o suspeito costumava ficar no Bairro Baú, os policiais conseguiram encontrá-lo e o prenderam.

Ele foi encaminhado para a Central de Flagrantes da Capital, onde foi autuado por homicídio doloso.

 

A Polícia Civil ainda deve ouvi-lo nesta quarta-feira (02).

 

Perfil

 

Marcelo Ferraz Leite escrevia artigos em diversos sites de Mato Grosso e já trabalhou como repórter no jornal Diário de Cuiabá, Folha do Estado e na TV Centro América.

 

Além de jornalista e advogado, Ferraz também era escritor. Em 2017, ele ganhou o Prêmio Mato Grosso de Literatura com o livro "O Assassinato na Casa Barão".

Nos últimos tempos, conforme apurou a reportagem, ele passava por problemas psicológicos.

 

Primo do jornalista, o ex-deputado estadual Maksuês Leite, confirmou a morte ao MidiaNews. "Era uma pessoa muito querida. Incapaz de fazer mal  a uma mosca", afirmou.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.