MAQUININHA LELECO
BR-163

Na contramão do estado, BR-163 registra queda no número de queimadas

Apesar do tempo seco e do alto índice de crescimento dos focos de calor em Mato Grosso, os registros de incêndios às margens da BR-163 reduziram nos dois primeiros meses de período proibitivo de queimadas.

18/09/2019 10h04
Por: Redação Hora News MT
Fonte: Assessoria
86
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Apesar do tempo seco e do alto índice de crescimento dos focos de calor em Mato Grosso, os registros de incêndios às margens da BR-163 reduziram nos dois primeiros meses de período proibitivo de queimadas. Este ano, a proibição do uso de fogo em áreas rurais para limpeza e manejo teve início em 15 de julho e será ampliada até 30 de novembro.

Entre 15 de julho e 15 de setembro de 2019, a Rota do Oeste registrou 137 ocorrências, 2% a menos que no mesmo período do ano passado, quando foram atendidos 140 casos. Considerando o ano todo, de 1º de janeiro a 15 de setembro, a Concessionária registrou um aumento de 4% nos focos de queimadas.

Na avaliação do secretário Executivo do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, coronel BM Paulo Barroso, os dados são bastante positivos, especialmente diante de um aumento tão expressivo em todo o Estado. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Mato Grosso registrou um crescimento de 70% nos focos de calor.

“O Brasil inteiro está queimando. O simples fato de manter o número de ocorrências na BR-163 já é um saldo muito favorável. O trabalho da Rota do Oeste serve como exemplo para as demais concessionárias e a outros atores importantes em Mato Grosso. Todos nós devemos ter o compromisso com a prevenção”, avalia.

Barroso destaca ainda que a presença dos operadores de tráfego e caminhões-pipa da Rota do Oeste garante uma resposta rápida, tanto no combate inicial, quanto no acionamento das equipes do Corpo de Bombeiros, que é a Instituição capacitada para o controle de incêndios.  “A prevenção e a resposta rápida, em casos de ocorrências, feitas com efetividade são fundamentais para alcançar bons resultados”.

O gerente de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, frisa que apesar da queda nos registros ao longo do trecho sob concessão, a região norte é a que inspira maior cuidado e atenção. O segmento segue caminho contrário do restante do trecho e apresenta um aumento de 50 para 63 casos, entre 2018 e 2019.

“Seguimos monitorando atentamente a situação. Nessa região, firmamos parcerias com produtores rurais e com o Corpo de Bombeiros para abastecimento dos caminhões-pipas, que realizam o atendimento inicial quando as chamas são identificadas na faixa de domínio e prestam apoio ao próprio Corpo de Bombeiros em ocorrências de maior vulto”, explica.

Ferreira alerta ainda a importância de os motoristas e moradores da região denunciarem ações suspeitas de pessoas mal-intencionadas que venham a colocar fogo na vegetação. Esta semana, em Nova Mutum foi registrado um caso desta natureza.

Prevenção – Além do trabalho voltado ao apoio ao combate das chamas, as equipes de conservação da Rota do Oeste seguem dando continuidade ao plano de combate e prevenção às queimadas na BR-163. Como parte das ações, está semana o trabalho será voltado à formação de aceiros na região da BR-070 (rodovia dos Imigrantes), do km 496 ao km 508, em Cuiabá.

Desde junho, a Concessionária atua no trabalho preventivo a incêndios na rodovia. A ação conta ainda com alertas aos motoristas por meio dos painéis de mensagem variável (PMVs), reforço da limpeza da faixa de domínio, supressão vegetal, monitoramento da faixa de domínio e auxílio físico e material ao Corpo de Bombeiros.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.