MAQUININHA LELECO
Sorriso

Mulher denuncia que teve vagina rasgada e o recém-nascido a clavícula quebrada em Hospital de MT

Uma mulher de 35 anos denunciou à Polícia Civil ter passado por uma violência obstétrica no Hospital Regional de Sorriso (a 420 km de Cuiabá).

13/09/2019 15h54
Por: Redação Hora News MT
Fonte: RD News
211
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma mulher de 35 anos denunciou à Polícia Civil ter passado por uma violência obstétrica no Hospital Regional de Sorriso (a 420 km de Cuiabá). Na hora do parto, segundo a vítima, teve a vagina dilacerada até o ânus e a filha teve clavícula quebrada durante o parto. O boletim de ocorrência foi registrado no dia 1 de setembro, mas o caso semente veio à tona agora.

De acordo com o BO, a mulher conta que foi internada no dia 13 de agosto e medicada para ter um parto induzido, ficando até o dia 1º de setembro sofrendo com as dores. Segundo ela, a médica plantonista injetava hormônio ocitocina para que ela sentisse as contrações e assim tivesse dilatação suficiente para o bebê nascer.

A vítima, cujo nome a Reportagem mantém em sigilo para não expô-la ainda mais, conta que reclamou, mas não foi assistida pelos médicos e chegou, inclusive, a ligar para um outro hospital para tentar ter seu bebê lá, mas não conseguiu porque os médicos disseram que não podiam liberará-la para transferência, tampouco lhe darem alta.

Em seguida, a paciente diz que, ao reclamar das dores, pediu que o parto fosse cesárea, mas também não foi atendida. Após o parto um médico ortopedista da unidade de saúde a examinou e notou que a criança estava com a fratura. E pediu que fosse feito um exame de raio-x, que constatou a clavícula quebrada.

A vítima destaca que teve a vagina dilacerada até o ânus por conta do parto forçado. Após o atendimento, a mãe contou que tanto ela como a filha não receberam mais nenhum acompanhamento pelo hospital.

O caso ainda está sendo investigado pela Polícia Civil.

Outro lado

A reportagem tentou contato com a direção do Hospital Regional de Sorriso, mas não conseguiu retorno.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.