Terça, 19 de Outubro de 2021
°

-

Política Corrida Eleitoral

Barbudo não crê em 3ª via e vê Bolsonaro "imbatível" atualmente

Para o deputado, disputa será polarizada por Jair Bolsonaro e Lula, com vantagem para o atual presidente

18/09/2021 às 13h51
Por: Leandro Campos Fonte: Midia News
Compartilhe:
Foto: Midia News
Foto: Midia News

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) afirmou que não acredita em uma possível vitória de algum candidato da chamada terceira via nas eleições presidenciais de 2022.

 

Durante live no MidiaNews, ele declarou que  presidente Jair Bolsonaro (sem partido) o e ex-presidente Lula (PT) irão antagonizar a disputa e ainda reforçou que se as eleições fossem hoje, Bolsonaro sairia vitorioso.  

 

“Terceira via pode tirar o cavalinho da chuva. Eduardo Leite [governador de Rio Grande do Sul] não tem expressão nenhuma, é uma pessoa que não existe no mundo presidenciável. [Luciano] Huck, [José Luiz] Datena, Ciro Gomes, Marina [Silva], [João] Amoedo, para, para, para”, afirmou.

"O Moro era uma pessoa que se não tivesse acontecido o que aconteceu com ele, era um sério candidato a terceira via, que na minha humilde opinião, ia disputar pau a pau com Jair Bolsonaro", disse.

 

"Um cara de extrema credibilidade, mas depois saiu do governo atirando e perdeu a credibilidade do povo brasileiro e perdeu a minha também”, criticou.

 

Na live, Barbudo ainda teceu várias críticas ao ex-presidente Lula. Para ele, Bolsonaro seria "imbatível" se as eleições fossem hoje.

 

“Eu acho que se as eleições fossem hoje, com essa polarização, Lula ou Bolsonaro, Lula com a reputação de ladrão, com a carga que ele carrega nas costas de ter surrupiado o dinheiro do BNDES e entregado para as repúblicas socialista da América Latina e que hoje nós estamos tendo calote de países que não pagam, como a Venezuela e Cuba, na casa de bilhões, não vence”, disse.

 

“Eu não consigo entender, não consigo admitir e tenho certeza que o povo brasileiro sabe discernir um homem que quer o bem do seu País de um ladrão que quer voltar a tomar conta do cofre do Brasil para dar continuidade ao seu plano maquiavélico de quebrar o resto do agronegócio, transformando o Brasil na pátria-mãe”, afirmou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.