Terça, 15 de Junho de 2021
(65) 9.8455-7418
Geral Concenso

CCJR derruba veto de Mauro Mendes a trecho que obriga vacinação de professores antes de retomada das aulas

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa aprovou na manhã desta terça-feira (25) parecer pela derrubada do veto do governador Mauro Mendes (DEM) a um de Projeto de Lei que obriga vacinação de professores antes de retomada das aulas.

25/05/2021 11h28
Por: Leandro Campos Fonte: Max Aguiar/OD
Reprodução
Reprodução

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa aprovou na manhã desta terça-feira (25) parecer pela derrubada do veto do governador Mauro Mendes (DEM) a um de Projeto de Lei que obriga vacinação de professores antes de retomada das aulas. O trecho inclui professores e técnicos da rede pública estadual e também da iniciativa privada. 

Agora, o parecer vai ao plenário para votação dos 24 deputados estaduais na sessão desta quarta-feira (26). O deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que preside a CCJ e também a Comissão de Educação, ressaltou que o governador Mauro Mendes já declarou publicamente que a vacinação dos professores começa tão logo se encerrar a imunização dos profissionais da segurança pública. 

“Não vejo obstáculo para a aprovação da derrubada do veto. É um consenso da Assembleia Legislativa de que a vacinação seja garantida aos professores para garantir a retomada das aulas”, declarou.

O parlamentar ainda se posicionou veementemente contra a sinalização dada pela direção do Sintep(Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público) de deflagrar uma greve em Mato Grosso pela contrariedade à retomada dos trabalhos presenciais programado para ocorrer no dia 7 de junho conforme plano da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

“Os professores não deverão adotar uma medida radical e que levará ao isolamento social. A retomada das aulas já foi acordada pelo Ministério Público, Polícia Militar, Assembleia Legislativa, governo do Estado e também por muitas famílias que desejam ver seus filhos obtendo pleno aprendizado nas escolas”, concluiu.

De acordo com o plano de retomada das aulas presenciais, o Estado fica obrigado a garantir o funcionamento da rede estadual de ensino com pelo menos de 30% das atividades presenciais, priorizando o retorno dos alunos que não têm acesso à internet. 

Os pais poderão optar pelo ensino à distância se houver disponibilidade e o Estado pode aumentar gradativamente o número de alunos em sala.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.