Terça, 15 de Junho de 2021
(65) 9.8455-7418
Dólar comercial R$ 5,09 0.28%
Euro R$ 6,17 +0.36%
Peso Argentino R$ 0,05 +0.26%
Bitcoin R$ 215.348,78 -0.105%
Bovespa 129.797,8 pontos -0.32%
Economia Carro engasgado

CPI denuncia à PC duas usinas por misturar etanol com água em MT

Setor de combustíveis é suspeito de sonegação de 18% no Estado

12/05/2021 21h24
Por: Leandro Campos Fonte: Emily Magalhães/Folha Max
Reprodução
Reprodução

Recentemente, o deputado estadual Carlos Avalone (PSDB), vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, divulgou dados que apontam que no período entre 2015 e 2019 foram constatados mais de R$ 10,7 bilhões em sonegação de impostos, sendo que a maioria, veio do segmento do agronegócio. “Houve uma CPI presidida pelo José Carlos do Pátio, que deixou muita coisa investigada e essa é a continuação daquela mesma. Houve um assassinato em março de 2019, de um empresário que já tinha feito uma delação e entregue muita gente grande em Mato Grosso. Um desvio de mais ou menos R$ 140 milhões”, disse o deputado estadual Wilson Santos em entrevista ao Jornal do Meio Dia (TV Vila Real).

Representantes do setor agronegócio sonegaram R$ 7,7 bilhões, número cinco vezes maior que o valor de R$ 1,5 bilhão do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) arrecadado no setor no período analisado pelos integrantes da CPI.  De 2013 a 2016 o Conselheiro do Tribunal de Contas, Antônio Joaquim, pediu ao Governo do Estado que entregasse toda essa movimentação das importações que culminam com mais de R$ 170 bilhões.

Segundo Wilson, a suspeita é que parte desse volume não tenha sido exportado. “Pede a nota fiscal para exportação, mas a mercadoria não vai e vende no mercado interno sem pagar ICMS. Nós temos algumas informações que eu não posso ofertar até porque recebemos em sigilo de justiça, mas pode ter certeza que não vai terminar em pizza”, afirmou o parlamentar.  

Durante as investigações da Comissão no setor de combustíveis, duas usinas de etanol foram descobertas ao sonegarem impostos e misturarem água aos combustíveis. “O primeiro capítulo da novela terminou. O  capítulo do combustível foi muito bem relatado pelo deputado Avalone Júnior. Nós comprovamos que há 18% de sonegação no setor de combustíveis e entregamos ao governador Mauro Mendes as duas usinas de etanol em Mato Grosso que mais sonegam e misturam água no álcool”, disse.

O parlamentar ainda contou que apresentou um Projeto de Lei, que será discutido com a Federação das Indústrias (Fiemt), em que propõe a instalação de medidores em todas as usinas do Estado, visto que 80% da sonegação no setor de combustíveis é realizada no etanol. A Polícia Civil vem investigando o caso.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.