Terça, 15 de Junho de 2021
(65) 9.8455-7418
PolíticaMT Bastidores

PP e PSD declaram apoio à reeleição, mas querem Mauro no palanque de Neri Geller ao Senado

Buscando consolidar o projeto de candidatura do deputado Neri Geller para o Senado em 2022, o PP e o PSD convidaram o governador Mauro Mendes (DEM) para um jantar de cortesia para discutir o processo eleitoral de 2022.

07/05/2021 13h04
Por: Leandro Campos Fonte: Pablo Rodigo/Gazeta Digital
Reprodução
Reprodução

Buscando consolidar o projeto de candidatura do deputado Neri Geller para o Senado em 2022, o PP e o PSD convidaram o governador Mauro Mendes (DEM) para um jantar de cortesia para discutir o processo eleitoral de 2022. O encontro ainda teve a presença do ex-ministro Blairo Maggi (PP), padrinho político de Mendes e seu 'conselheiro'.  

O PP já lançou Geller ao Senado e tem o PSD como principal apoiador, já que a sigla foi quem coordenou a campanha do senador Carlos Fávaro (PSD) na eleição suplementar ao Senado no ano passado. Porém, o partido quer garantir o apoio do governador. 

Em troca, o PP e PSD dará o seu suporte incondicional à reeleição de Mauro Mendes ao governo do Estado. O PP e PSD são os principais articuladores do chamado 'Centrão' do Congresso Nacional, que hoje apoia o presidente Jair Bolsonaro.   Conforme apurado, Mauro Mendes tem dito que a sua reeleição seria um caminho natural para concluir tudo o que iniciou em 2019. Porém, quer manter o discurso de discutir eleição apenas em ano eleitoral.  

No entanto, nos bastidores, Mauro não se furtará de discutir alianças e apoio ao seu governo, desde que nada seja publicizado.  No jantar desta quinta-feira (6), além de Mauro e Blairo, estiveram presentes Neri Geller (PP), Fávaro (PSD), o deputado estadual Paulo Araújo (PP), suplente de senador, Margareth Buzetti (PP) e o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.  

Atualmente o problema que Mauro Mendes pretende resolver é como ficará o seu vice e amigo, Otaviano Pivetta (sem partido).  Mendes pretende manter Pivetta dentro do seu projeto, porém, o mesmo deve ingressar em uma legenda com maior representatividade.  

O problema é que Pivetta tem problemas com Blairo e Fávaro, logo, o PP e PSD não deverá ser o seu futuro político.  Se o mesmo optar por uma sigla de menor representatividade, dificilmente conseguirá ganhar a briga para se manter como vice. Uma alternativa seria disputar a Câmara Federal. Porém, Pivetta prefere o Senado, o que teria problemas, já que Geller se antecipou ao lançar o seu nome.  

Enquanto não se encontra uma solução, Mauro Mendes seguirá mantendo o discurso de não discutir eleições publicamente, mas nos bastidores, começará a ter uma agenda cheia de reuniões.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.