Quarta, 26 de Janeiro de 2022
Polícia Justiça Feita

Polícia prende dupla que torturou mecânico e gravou vídeo em MT

A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira, dois homens envolvidos nas cenas de espancamento e tortura contra um homem em Tangará da Serra (240 quilômetros de Cuiabá).

08/12/2020 às 09h04
Por: Leandro Campos Fonte: Folha Max
Compartilhe:
Reprodução
Reprodução

A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira, dois homens envolvidos nas cenas de espancamento e tortura contra um homem em Tangará da Serra (240 quilômetros de Cuiabá). Um vídeo com a agressão ganhou as redes sociais no fim de semana e gerou enorme repercussão.

Desde então, o crime é investigado pela Polícia Civil, que tratou o caso como tortura. Nesta segunda-feira, o delegado de Tangará representou pela prisão dos envolvidos, o que foi deferido pela 2ª Vara Criminal da Comarca. Os mandados foram cumpridos em Tangará e outro em Cuiabá.

Um dos presos é Gustavo Henrique Albanez, que aparece nas imagens proferindo as agressões e insultos contra o rapaz, que não reage em nenhum momento. Dias depois do vídeo ganhar as redes sociais, ele gravou um vídeo falando que a vítima "não apanhou de graça".

O outro preso é o rapaz que filma, que não teve o nome divulgado.

Segundo informações um dos autores estava escondido em uma fazenda a cerca de 35 Km de Tangara da Serra e foi preso pelo Delegado Adil Pinheiro, que coordena a investigação. O segundo foi preso em um hotel de Cuiabá pela equipe de capturas da Polinter. Ambos serão encaminhados ao sistema prisional na data de hoje.

VÍDEO CHOCANTE

O vídeo que circulou nas redes sociais mostrava o momento em que a vítima era humilhada e espancada por outro em uma oficina e causou grande comoção entre os moradores da cidade e de todo o estado. Até supostos áudios de faccionados contra o espancamento da vítima teriam rodado nos aplicativos de mensagens.

O motivo das agressões seria o atraso de pagamento de dívidas. Nas imagens, é possível ver que o homem que o espanca quebra uma garrafa de cerveja na cabeça da vítima.

Em dado momento, as agressões aumentando e o "cobrador" passa a agredir o mecânico com diversos tapas no rosto, socos e chutes. 

O comparsa que filmava a ação incentivava as agressões. “Não adianta chorar”, diz. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.