Terça, 14 de Julho de 2020
(65) 9.9696-8266
Dólar comercial R$ 5,39 1.21%
Euro R$ 6,12 +1.712%
Peso Argentino R$ 0,08 +1.065%
Bitcoin R$ 52.508,94 -0.615%
Bovespa 98.697,06 pontos -1.33%
Economia Abusos

Preços de remédios usados para tratamento da Covid disparam em Cuiabá

Os medicamentos que estão sendo usados no tratamento de sintomas da Covid-19 tiveram aumento de até 60% nos preços, em Cuiabá.

30/06/2020 15h41
Por: Redação Hora News MT Fonte: Folha Max
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os medicamentos que estão sendo usados no tratamento de sintomas da Covid-19 tiveram aumento de até 60% nos preços, em Cuiabá. A vitamina C, vitamina D e o ivermectina estão na lista dos produtos mais vendidos nas farmácias desde o início da pandemia.

O aumento dos preços de medicamentos de 5,2% anunciado no início deste mês deve chegar ao consumidor a partir de julho, mas o que preocupa são os remédios utilizados pelo tratamento de sintomas da Covid-19 como a ivermectina, cujo preço médio é de R$ 25. Em algumas farmácias já é vendido por até R$ 40.

Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos (Sincofarma), Hamilton Domingos Teixeira, a pandemia não justifica o aumento abusivo dos preços. “O Sincofarma tem recebido denúncias de abuso de preços de medicamentos nesse momento com tantas pessoas se contaminando. Não justifica o abuso de preços que estão colocando, teve o aumento de transporte, mas não abuso, por isso que a gente alerta pra que o consumidor exija o cupom fiscal”, afirma.

O Procon e a Polícia Civil trabalham juntos para fiscalizar as farmácias suspeitas de preços abusivos.

O coordenador de fiscalização, Ivo Vinícius Firmo, orienta que o cliente sempre guarde o comprovante da compra. Além disso, toda pessoa tem direito de consultar o caderno de preço dos medicamentos. “Nós estamos fazendo o monitoramento de todas as denúncias que chegam e realizando ações de ofício pra verificar se houve essa variação como está sendo denunciado pelos consumidores. O medicamento tem um o preço controlado pelo pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Todo ano, é liberado uma lista de preço máximo e as farmácias precisam ter essa tabela no balcão. Qualquer tipo de medicamentos controlados, a farmácia tem a obrigação de ter colocado no balcão para que o consumidor possa consultar”, afirma.

A Polícia Civil fez seis operações em farmácias depois de receber denúncias. Até agora ninguém foi preso. A prática de preços abusivos é crime e a multa pode chegar a R$ 3 milhões. O dono da farmácia pode pegar até 10 anos de prisão.

O delegado Rodrigo Azem orienta que os consumidores façam as denúncias pelo canal da Polícia Civil, que vai apurar os casos. “Os produtos que mais têm recebido denúncia são o álcool em gel, máscaras de proteção, vitamina C, termômetro digital e o medicamento ivermectina. Nós falamos para o proprietário ou gerente que está no local que vamos fazer a fiscalização juntamente com o Procon", afirmou.

O telefone de emergência da Polícia Civil é o 197.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.